Formas do Moderno

© Divulgação

© Divulgação

Uma das mais significativas coleções de arte brasileira chega a Belo Horizonte pela primeira vez. Reunindo cerca de 60 obras de importantes artistas do Modernismo no Brasil, a exposição “Formas do Moderno na Casa Fiat de Cultura – Coleção da Fundação Edson Queiroz”.

A mostra proporciona um passeio pela história da arte moderna brasileira ao apresentar grandes nomes como Lasar Segall, Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Victor Brecheret, Guignard, Bruno Giorgi, Cícero Dias, Flavio de Carvalho, Alfredo Volpi, Helio Oiticica, José Pancetti, entre outros. Ao todo, o público poderá apreciar 53 pinturas e 5 esculturas de variados artistas, com destaque para as obras “Duas Amigas” (1913), de Lasar Segall; “Mulata com Flores” (19XX), de Di Cavalcanti; e “Mulher e Crianças” (1940), de Portinari, e Lavadeiras do Abaeté (1956), de Pancetti.

Com curadoria de Valéria Piccoli, atual curadora-chefe da Pinacoteca do estado de São Paulo, a exposição “Formas do Moderno na Casa Fiat de Cultura – Coleção da Fundação Edson Queiroz” traz uma narrativa da história da arte da primeira metade do século XX no Brasil, por meio de obras de qualidade inquestionável.

Em evidência, as variadas linguagens da modernidade, ressaltando as relevantes formas do movimento. Em um período de 50 anos do modernismo, será possível perceber inúmeras fases dos artistas acompanhando a noção de modernidade, desde o país ansiando por ser moderno, a construção da iconografia nacional e a reformulação da arquitetura e formação das cidades.

A exposição contará com agendamento de visitas mediadas pelo Programa Educativo da Casa Fiat de Cultura, além de visitas temáticas, palestras, minicursos, oficinas e ateliê aberto. Com coordenação da educadora Clarita Gonzaga, as temáticas do Programa Educativo envolvendo a mostra irão variar entre colecionismo, modernismo e linguagens artísticas, proporcionando ao público uma imersão nas experiências e processos que nortearam a produção dos artistas em exposição.

Compartilhar: