Felippe Moraes apresenta “Movimento Pendular” no Paço Imperial

© Divulgação

© Divulgação

O trabalho Movimento Pendular do artista carioca Felippe Moraes consiste de uma ação com um pêndulo de vidro preenchido por areia e suspenso por um cabo de aço até o teto do espaço expositivo. O dispositivo é então colocado em movimento circular pelo artista. A areia vai caindo lentamente com o girar do corpo e deixando um rastro linear revelando a forma do movimento do pêndulo, que, apesar de ser aleatório, é complexo, proporcional e harmônico.

O projeto tem como motivação a pesquisa dos fenômenos dos padrões geométricos produzidos por pêndulos, através da produção de desenhos de larga escala, explorando algumas das infinitas possibilidades nos procedimentos.

Como parte da programação especial para a ocasião da semana de aberturas da TRIO Bienal 2015, a ação será empreendida no Paço Imperial no dia 11 de setembro, às 16h, em um dos vãos abertos na arquitetura colonial sendo, até o momento, a maior montagem deste trabalho.

Ainda inédito no Rio de Janeiro, o trabalho já foi apresentado em escala menor no Instituto Tomie Ohtake e na exposição individual “Ordem” na Baró Galeria, ambas em 2014.

O jovem artista é um dos destaques da curadoria de Marcus Lontra para a mostra, estando também presente em uma das mostras da TRIO Bienal no Casino da Urca com o trabalho “Tubos Sonoros” de 2014.

Compartilhar: