Artistas paulistas e baianos debatem processos de criação em Cachoeira e Salvador

© Divulgação

Quatro artistas (duas paulistas e dois baianos) vão sair de seus ateliês para conversar entre si, com o público e com a teórica Cristina Pescuma, de São Paulo, no Seminário “Arte como Jogo”. Integrante do 2º Ciclo de Palestras e Conversas com Artistas “A Arte Contemporânea e o Pensamento da Diferença”, o evento acontece entre 14 e 25 de setembro, em Salvador e Cachoeira, e será transmitido ao vivo pelo site isso.art.br.

O grupo de artistas é formado por Beatriz Nogueira e Lucia M. Loeb, de São Paulo, e Elias Santos e Fabio Magalhães, de Salvador. E o que deve surgir desse encontro? Para o público, uma oportunidade de conhecer mais sobre questões relativas ao processo de criação artística. Para artistas, uma perspectiva teórica trazida de Gilles Deleuze, Félix Guatarri, Michel Foucalt, entre outros.

“Espero do curso um momento de troca e de contextualização dentro de outras poéticas também”, diz Lucia M. Loeb, que vem de São Paulo trazendo imagens de seus trabalhos: livros visuais e escultóricos, que trabalham memória e fotografia, além do próprio objeto livro como assunto.

Entre as questões que Beatriz Nogueira pretende levar para o curso estão: “como construir significado poético na contemporaneidade? É possível ainda pensar nas especificidades das linguagens? Qual o lugar da história da arte na produção do artista? Qual o lugar da subjetividade?”.

Natural e residente em São Paulo, Beatriz conta que teve seu processo criativo modificado na Bahia na Bienal do Recôncavo 2010, quando realizou uma instalação site-specific. Por isso, Cachoeira é um local especial em sua trajetória.

“Participei do último curso que a Cristina ministrou aqui em Salvador, em 2012, e considero importantes essas iniciativas de promoção de debates acerca da arte como meio inseparável de intensificação da vida”, diz Elias Santos, que trabalha com infogravuras e recebeu o Prêmio Aquisição na Bienal do Recôncavo 2002.

Ele vai levar para o curso esboços para um projeto em pintura realizado a partir de fotografias de Fernando Pião, artista falecido em março deste ano, homenageado no evento. “É um trabalho que está ainda iniciando mas como pretendo falar mais do processo de criação, acho oportuno mostrá-lo.”

Já Fabio Magalhães, um dos indicados ao prêmio PIPA 2015, está ansioso para falar da pintura – linguagem cuja morte já foi decretada algumas vezes. “Contudo, segue viva. E eu a escolhi como companheira de trabalho”.

SERVIÇO

Cachoeira
Quando: 14 a 18/09
Horário: 14h30 às 17h30
Local: auditório do Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB (Rua Maestro Irineu Sacramento S/N, Centro)

Salvador
Quando: 21 a 25/09
Horário: 19h as 22h
Local: auditório do Museu de Arte da Bahia (Avenida Sete de Setembro, 2340, Corredor da Vitória)

Ambos
Pré-inscrições de 01 a 14 de setembro pelo site: isso.art.br
Mais informações: contato@isso.art.br

Compartilhar: