Iris Eichenberg | Galeria Alice Floriano

Galeria Alice Floriano recém inaugurada recebe uma das mais importantes joalheiras do mundo

 No dia 13 de junho, acontece a abertura da exposição RIZOMA, da artista alemã radicada nos Estados Unidos, Iris Eichenberg, na Galeria Alice Floriano. A joalheira apresentará uma seleção de suas obras que nos permitirá observar as raízes subjacentes de 20 anos de sua carreira. Não são necessariamente ornamentos bonitos, as obras de Eichenberg apresentam um modo único de beleza, ocasionalmente desconcertante.

Misturando procedimentos de alta tecnologia com técnicas manuais tradicionais, algumas séries exploram a interdependência dos sentidos, desfocando os limites entre corpo e adorno, para primeiro plano o objeto como experiência. Outros usam objetos arquetípicos e formas familiares, para expressar os sentimentos mais profundos e intensos.

“Fundindo e derretendo o feio e o belo, mesclando o sedutor e o repulsivo, apenas para alcançar o momento do que é, afinal, uma forma de beleza. Uma beleza que desafia, que pode não ser agradável, mas que oferece o conforto de um empreendimento em andamento” diz a papisa da joalheria contemporânea, Iris Eichenberg.

Sobre Iris Eichenberg: Depois de se formar na Gerrit Rietveld Academie em Amsterdã em 1994, Iris Eichenberg trabalhou como artista independente, educadora de arte, curadora a tempo parcial e co-organizadora de eventos relacionados à arte. Ela começou a ensinar na Gerrit Rietveld Academie em 1996, onde se tornou Chefe do Departamento em 2000. Em 2006, ela aceitou o cargo de Chefe de Departamento / Artistas em Residência na Cranbrook Academy of Art em Bloomfield Hills Michigan, EUA, onde se mudou permanentemente 2007.

Eichenberg tem liderado o departamento de metais da CAA em novas direções, transformando-o em um laboratório de pesquisa onde os alunos aprendem a expressar suas ideias através da exploração rigorosa de uma ampla gama de materiais e técnicas. Seu trabalho pode ser encontrado em vários museus, incluindo The Cooper-Hewitt (Nova York), The Museum of Arts and Design (Nova York), The Rijksmuseum (Amsterdam), The Metropolitan Museum of Art (Nova York), The Stedelijk Museum), O Museu Schmuck Pforzheim, a Fundação Nacional de Arte Contemporânea (Paris) e o Museu de Belas Artes de Houston (Texas). Seu trabalho também foi coletado por fundações privadas, incluindo Francoise van der Bosch Stichting (Amsterdã) e a Fundação Rotasa (Califórnia).”

Compartilhar: