(in)corporatura | Monica Filgueiras Galeria

Marilu Beer, esse cielo azul 2

A Mônica Filgueiras Galeria abre, em parceria com o Atelier Paulista a mostra-invasão coletiva (in)corporatura com curadoria anônima. As múltiplas obras de 16 artistas formam um corpo indeterminado, transmutável e efêmero.

Embora tão diversos em aparência, material, formato, meio, linguagem, tecnologia, metodologia, tema, enfim, naquilo tudo que compõe uma obra poética, uma qualidade comum transborda dos trabalhos daqueles que se alinham ao Atelier Paulista. Trata-se da expressão incorporada de matérias diversas que o sentir alcança num lance, mas que se cria por fases. São paisagens, de todo tipo, figurativas, conceituais, abstratas, icônicas, indiciais – misturas heterogêneas individuadas e individuantes. Os trabalhos formam um conjunto, não pronto e acabado, mas em constituição, como o são todos os corpos, seja humano, da terra, social ou de ideias; em composição, decomposição, ou cristalização; pulsante, debilitante, ou em recuperação; opaco, translúcido, ou luminoso; real ou falso.

É um composto que se apresenta em corpo múltiplo, híbrido, polifônico e aberto; que cresceu se espalhando, ocupando o espaço, se metabolizando e se autoproduzindo no ato mesmo de se expor. Exposição-Invasão. Até agora, ele é agenciamento de partes se integrando… Era um, que virou quatro, depois doze, em seguida treze, quatorze e, no momento, dezesseis nomes próprios. Singularidades compostas. São muitos afetos, dores, alegrias, raivas, mas nenhuma tristeza. Tudo num processo em que a menor parte já é imensa e que o fim é só uma vírgula…

Artistas
Alan Oju, Ana Guimarães, Branca de Oliveira, Clarisse Tzirulnik – Gle, Claudia Campolina, Eva Castiel, Fernanda Boutros, Fernando Saiki, Karina Takiguti, Heloisa Etelvina, Mariana Parzewski, Maria Helena Cabral, Marilu Beer, Maurizio Mancioli, Pedro Perez Machado e Vera Souto.

Compartilhar: