Hans Ulrich Obrist | Parque Lage

O curador suíço Hans Ulrich Obrist chega ao Brasil no dia 27 de agosto para gravar uma série de entrevistas com artistas brasileiros sobre criatividade, imaginação e arte contemporânea. As conversas serão organizadas e editadas no livro Hans Ulrich Obrist Entrevistas Brasileiras, que será lançado pela Editora Cobogó em 2018.

A visita de Obrist ao Brasil faz parte do projeto de residências artísticas do Instituto Inclusartiz, organização sem fins lucrativos que promove educação e cultura na cidade do Rio de Janeiro.

Serão quatro dias de conversas, no Rio e em São Paulo, de cerca de uma hora com cada um dos artistas convidados pelo próprio curador. Entre eles, estão Iole de Freitas, Ruy Guerra e Laura Lima. Algumas dessas entrevistas serão feitas no próprio estúdio destes artistas, como no caso de Adriana Varejão, Artur Barrio e Waltercio Caldas.

Na segunda-feira, dia 28, após uma sessão de entrevistas com os artistas, o curador fará uma palestra aberta ao público, às 19h, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Jardim Botânico, Rio. Depois, viaja para São Paulo, onde terá mais uma série de encontros, voltando em seguida para Londres.

Obrist gravou, nos últimos anos, mais de 1.400 horas de entrevistas em viagens pelo mundo com artistas, cineastas, músicos, cientistas, arquitetos e filósofos, sobre suas ideias, propostas e reflexões em relação a assuntos das mais diversas áreas do conhecimento. É uma espécie de curadoria geral, em que Obrist passeia, anota, sugere e interage.

O resultado de algumas de suas experiências foi publicado no Brasil pela Editora Cobogó na coleção Hans Ulrich Obrist-Entrevistas vols. 1 a 6,  e também no livro Ai Weiwei entrevistado por Hans Ulrich Obrist. Além dos livros de entrevista, a Cobogó publicou também no Brasil, o livro Caminhos da Curadoria, em que o autor busca inspirar os engajados na produção cultural.

Considerado um dos curadores de arte mais influentes hoje no mundo, Hans Ulrich Obrist é atualmente diretor da Serpentine Gallery. Atuou vinte anos como curador independente e também como curador do Museu de Arte Moderna de Paris. Organizou mais de 150 mostras internacionais. Desde muito jovem, Obrist entrevista artistas e pensadores em diversas áreas.

 

Compartilhar: