Guilherme Callegari | Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea

Oravele

Por que um determinado símbolo representa o que representa? Como são formados e incorporados ao dia-a-dia? Foram perguntas como essas que direcionaram o trabalho do artista Guilherme Callegari na série NÃOSÍMBOLO, que ele apresenta na Casa Nova Arte e Cultura Contemporânea.

São cartazes, capas de livros, discos, sinalizações de trânsito, que, aplicados nas pinturas perdem total significado e passam a ser apenas elementos gráficos, sejam eles letras, números ou logotipos. “Quando as pessoas chegam no ateliê, todas tentam ler o que está escrito e ficam procurando significados nas ‘palavras’, como se estivessem lendo uma língua que não lhes é familiar, e isso me intrigou muito. Talvez isso possa vir a ser uma discussão, mas a princípio o objetivo não era esse”, conta Callegari.

Por isso também o título escolhido para a série: NÃOSÍMBOLO, que vem da “dessígnificação” ou negação desses símbolos. “Nesse projetoa relação do design gráfico com a pintura é de fato 100%. A escolha de cada símbolo veio do interesse em dar um foco maior em alguns que eu já usava em pinturas antigas, como na série BASE”, completa.

Compartilhar: