Palestra – Entre Marat e Napoleão: David e a pintura francesa revolucionária | Ateliê Priscila Mainieri

priscila2

Pintor de história e retrato, Jacques-Louis David (1748 – 1825) se move entre dois mundos e duas artes. Assim, acompanha a passagem do Ancien Régime para o Nouveau Régime, como também protagoniza a mudança do estilo galante (a pintura de corte sob Luís XV marcada por figuras adocicadas, “frívolas”, como diria Diderot acerca de Boucher, que foi o primeiro mestre de David) para uma arte austera, da qual sobressai O juramento dos Horácios, de 1784. Obra que causa impacto na época e é tida pela crítica como inaugural do chamado “Neoclassicismo”. Conceito, aliás, anacrônico.

Com efeito, estudaremos na palestra da próxima quinta (23 de março) a iconografia da época considerando a evolução artística de David, que, além de deputado durante a Convenção (vota em favor da execução de Luís XVI), foi também o principal pintor de Napoleão; porém, com a Restauração Bourbon, segue para um exílio voluntário em Bruxelas, onde pinta suas derradeiras obras, de estilo mais “sensualista”.

Denis Bruza Molino é mestre em filosofia pela USP, com estudos em instituições estrangeiras; professor e curador assistente do MASP (2007 – 2014); historiador da arte e estudioso das letras helenísticas.

Inscrições: contato@ateliepriscilamainieri.com.br ou (11) 3031-8727
Investimento por palestra: R$ 80,00

Compartilhar: