DASARTES 61
junho 2017

WANDA PIMENTEL
BIENAL DE VENEZA
YVES KLEIN
CARLOS FAJARDO
ARTHUR PIZA
MARIA LEONTINA

LEIA . BAIXE . COMPARTILHE ARTE

CAPA – Raras e belas, as obras da série “Envolvimento” de Wanda Pimentel tornaram-se ícones do pop brasileiro e objeto de desejo de colecionadores. O museu de Arte de São Paulo reverencia a artista reunindo 30 delas em uma exposição de puro empoderamento. Veja texto da co-curadora da exposição, Camila Bechelany.

DESTAQUE – Nossa correspondente internacional na Itália, Constança Basto faz um percurso pelos principais pavilhões da 57ª edição da Bienal de Veneza que este ano ganhou o título “Viva Arte Viva”, uma Bienal desenhada com os artistas, pelos artistas e para os artistas. A italiana Rebecca Moccia, também nos fala sobre suas impressões às obras de Cinthia Marcelle, Franz West e Mladen Stilinovic.

DESTAQUE – A Fundação Proa, em Buenos Aires, celebra a obra do artista francês Yves Klein, em grande retrospectiva. Veja também pelas palavras do artista como ele foi introduzido as artes plásticas e como superou, aquilo que ele chama de “problemas da arte”.

ALTO RELEVO – O artista Carlos Fajardo produz sete obras inéditas exclusivamente para a mostra “Espelho no Espelho” no Instituto Ling em Porto Alegre. Henrique Xavier, curador da exposição, nos conta tudo sobre a mostra em cartaz até 5/8.

ATELIÊ DO ARTISTA – Arthur Luiz Piza faleceu em Maio aos 89 anos em Paris, em homenagem à sua longa e celebrada produção, a Dasartes relembra a entrevista concedida em seu ateliê em 2014.

OUTRAS NOTAS – Flertando com o expressionismo, construtivismo e concretismo, as obras de Maria Leontina estão presentes em mostra inédita na Galeria Bergamin & Gomide em São Paulo.

RESENHAS – Glassstress 2017 em Veneza por Lica Cecato e Lugares do Delírio, Museu de Arte do Rio por Chandra Santos.

ALTO FALANTE – O colunista Guy Amado disserta sobre o efeito crítico para a produção artística e cultural contemporânea a respeito de dois casos: a trajetória peculiar do (suposto) artista sérvio Darko Maver, que no decorrer de um ano sai do total anonimato à participação na 48ª Bienal de Veneza (1999), e uma performance emblemática da artista norte-americana Andrea Fraser.

Completam ainda a edição as sessões AGENDA, DE ARTE A Z, COLUNA DO MEIO e NOTAS DE MERCADO. Imperdível!


Compartilhar: